Entomologia Forense na Prática Do laboratório à utilização do vestígio

Lançamento


De R$ 268,00
Por:
R$ 214,40
Economize  R$ 53,60

R$ 203,68 à vista com desconto Depósito Bancário
ou 4x de R$ 53,60 Sem juros
Pague com boleto ou depósito bancário e ganhe mais 5% de desconto
Simulador de Frete
- Calcular frete

Série: Ciência Contra o Crime – organizadores: Claudemir Rodrigues Dias Filho e Pablo Abdon da Costa Frances

 

A presente obra reúne pesquisadores que apresentam  diversas abordagens e experiências abrangendo desde o estabelecimento de experimentos, até a coleta e processamento do material de um local de crime.

De forma didática e objetiva identifica quais são os insetos mais importantes para a a Entomologia Forense, como coletá-los, acondicioná-los, transportá-los, mantê-los vivos em laboratório, identificá-los (tanto em suas formas adultas como imaturas), bem como os aspectos ecológicos do processo de decomposição, que são de importância crucial para a melhor e correta aplicação da Entomologia Forense na Perícia Criminal

Apesar de não ser um livro pioneiro quanto ao tema, é

sem dúvida uma obra inovadora quanto a abordagem e ao horizonte que apresenta ao leitor que pretende enveredar pela produção científica, ou ao perito que entenderá de onde vem os parâmetros que balizam as informações derivadas dos vestígios entomológicos.

 

Sobre os Organizadores:

Claudemir Rodrigues Dias Filho

Bacharel e licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), e mestre em Genética e Biologia Molecular (UNICAMP). É perito criminal da Superintendência da Polícia Técnico-Científica (SP) desde 2006, professor da Academia de Polícia de São Paulo e professor universitário das disciplinas de Genética Molecular, Genética de Populações, Biologia Forense, Medicina Legal e Criminalística em cursos de Ciências Biológicas, Biomedicina e Direito. Ministrou treinamentos para peritos criminais de estados como São Paulo, Espírito Santo, Roraima, Distrito Federal, Maranhão, Pará, Amapá e Acre, além de ter instruído a capacitação de policiais da Força Nacional de Segurança Pública e cursos promovidos pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP/MJ). É um dos diretores da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses (SBCF), palestrante em simpósios e congressos na área forense, autor de capítulos e artigos (nacionais e internacionais) com temática pericial e um dos editores fundadores da Revista Brasileira de Criminalística. É autor e coordenador do Introdução à Biologia Forense e organizador da Série Ciência Contra o Crime da Millennium Editora, além de membro do Conselho Editorial desta. Também é divulgador de ciência em várias mídias, inclusive no portal Ciência Contra o Crime (cienciacontraocrime.com.br).

 

Pablo Abdon da Costa Francez

Possui graduação em Ciências Biológicas, Especialização em Genética Forense e em Genética Molecular Humana conferido pela Sociedade Brasileira de Genética (2006), mestrado e doutorado em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Federal do Pará. Atualmente é Perito Criminal da Polícia Técnico-Científica do Amapá. Tem experiência nas áreas de Perícia Ambiental, Genética de Populações, Genética Forense, Biologia Forense, Tricologia Forense (Análise de pelos e fibras) e Entomologia Forense. Autor de diversos artigos científicos, capítulos de livros e autor/organizador dos livros Introdução à Biologia Forense e Introdução à Genética Forense, ambos da Millennium Editora. Organizador da série Ciências Contra o Crime da Millennium Editora. Professor de cursos de Graduação e Pós-graduação de diferentes instituições brasileiras além de diretor do Instituto Nacional de Perícias e Ciências Forenses – INFOR.

 

Sobre os Coordenadores:

Drª Karine Pinto e Vairo

Bióloga pela Universidade Federal do Paraná (2008) e especialista em Entomologia Médica e Acarologia pela Fundação Oswaldo Cruz – RJ (2010). É mestre (2011) e doutora (2015) em Entomologia pela UFPR (bolsista CNPq) com dissertação e tese em Entomologia Forense com ênfase em Sarcophagidae (Diptera). Parte do doutorado foi realizada no exterior (Natural History Museum of Denmark – Dinamarca e Copernicus University – Polônia) (bolsista CAPES) onde participou de cursos e eventos na área forense. Integrou o Grupo de Entomologia Forense da UFPR por 6 anos onde colaborou com a Polícia Científica do Paraná na análise de vestígios entomológicos coletados em local de morte. Atualmente atua em Gestão Educacional, leciona em diversos cursos de pós-graduação em Ciências Forenses e coordena uma especialização na área com seis turmas já formadas. Além disso, orienta trabalhos de conclusão de curso e dissertações na área forense. Possui artigos publicados em revistas nacionais e internacionais principalmente relacionados à morfologia de Sarcophagidae e utilização das moscas como vestígios.

 

Mauricio Osvaldo Moura

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Paraná (1993), mestre e doutor em Ciências Biológicas (Entomologia) pela Universidade Federal do Paraná (2000). Atualmente é professor da Universidade Federal do Paraná orientando principalmente em ecologia de dípteros necrófagos e na aplicação nas áreas médica e veterinária. Tem ao longo da carreira publicado diversos artigos científicos e capítulos de livro além de atuar como revisor de periódicos científicos e de órgãos de fomento nacionais e internacionais. É bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq.

 

Sobre os AUTORES:

Alexandre Lara

Doutorando na área de Mecânica dos Sólidos no Programa de Pós Graduação em Engenharia Mecânica e de Materiais da UTFPR (conceito 4 CAPES), Mestre na área de Engenharia Biomédica da UTFPR (PPGEB), possui Pós Graduação Lato Sensu em Gestão da Segurança Pública com ênfase em Perícia Criminal (2013), MBA Executivo em Gestão Empresarial Estratégica pela USP (2007), Graduação em Engenharia Mecânica pela Universidade Tuiuti do Paraná (2003) e curso Técnico em Mecânica Industrial pelo CEFET-PR (atual UTFPR). Atua como Perito Oficial / Perito Criminal para o Governo do Estado do Paraná e como Professor das disciplinas de Elementos de Máquinas e Projeto Interdisciplinar 6 (Robótica) no curso de Engenharia Mecânica da Universidade Tuiuti do Paraná. Experiência na área de Engenharia Mecânica em Perícias de Falhas Mecânicas e de Acidentes de Trabalho e de Trânsito, bem como desenvolvimento e controle de Cadeia de Suprimentos e Logística. Experiência em Perícias Criminais de Acidentes de Trânsito, Locais de Crimes Contra Pessoa e Contra o Patrimônio, Exames de Adulteração de Chassis, Falhas de Componentes Mecânicos e Perícias de Balística Forense.

 

Alexandre Ururahy Rodrigues

Possui graduação em Ciências Biológicas (Biologia Marinha) pela Faculdade de Biologia e Psicologia Maria Thereza (1986), Mestrado em Ciências Biológicas, modalidade Biologia Animal, pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2002) e Doutorado Ciências Biológicas, modalidade em Entomologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (2008). Membro titular do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira de Entomologia Forense-ABEF. Sócio fundador da Associação Brasileira de Antropologia Forense-ABRAF. Tem experiência na área de Zoologia com ênfase em Entomologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Entomologia Forense, Diptera, Calliphoridae e Stratiomyidae. Possui formação complementar em Documentoscopia pela Bioforense Projetos Educacionais (2015), e também em Perícia Judicial, pela Escola de Administração Judiciária do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (2016). Atualmente, trabalha Na Universidade de Vassouras como Professor Adjunto no Mestrado Profissional em Ciências Ambientais, como Pesquisador colaborador no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, como Perito Judicial auxiliando nas Justiças Federais dos estados do Rio de Janeiro e do Acre. 

 

Arício Xavier Linhares

Graduado em Medicina pela Universidade de São Paulo (1975), Mestrado em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas (1979), Doutorado em Entomology pela University of California-Berkeley (1984), Pós-doutorado em Entomologia Médica pela University of Minnesota (1989-1990) e Livre Docente pela Universidade Estadual de Campinas (1991). Professor Titular da Universidade Estadual de Campinas (2000-2017). Experiência na área de Parasitologia, com ênfase em Entomologia Forense, atuando principalmente nos seguintes temas: Biologia e Ecologia de Calliphoridae e Sarcophagidae, Entomologia Forense e Dípteros Muscóides Sinantrópicos. Atua também na área de Ectoparasitos de pequenos mamíferos.

 

Carina Mara de Souza

Possui graduação em Ciências Biológicas (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Federal de Uberlândia (2007). Mestrado (2010) e Doutorado (2014) pelo Programa de Pós-Graduação em Parasitologia da Universidade Estadual de Campinas. Doutorado com período sanduíche no Zoological Museum, University of Copenhagen (2012). Atualmente integra o corpo docente da Faculdade de Talentos Humanos - FACTHUS, Uberaba-MG. Tem experiência de magistério e pesquisa nas áreas de Parasitologia Geral, Entomologia Urbana e Forense e Meio Ambiente. Desenvolve pesquisas em ecologia de vetores, desenvolvimento de insetos e análises moleculares, incluindo estudos de taxonomia e sistemática, com ênfase em Sarcophagidae e Calliphoridae (Diptera) e temas ambientais voltados à conservação e manejo de solo e água.

 

Carolina Gonçalves Palanch 

Bacharel e licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Desenvolveu pesquisa na área de entomologia forense para obtenção do título de mestre em biologia geral e aplicada pela UNESP – Botucatu. Desde 2006 é perita criminal do estado de São Paulo onde atuou no atendimento de local de crime pela equipe de perícias criminalísticas da zona norte na cidade de São Paulo até 2010 quando passou a desempenhar suas funções no Núcleo de Biologia e Bioquímica do Instituto de Criminalística de São Paulo.

 

Cátia A. de Mello-Patiu

Professora titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro/Museu Nacional e bolsista de produtividade em Pesquisa do CNPq. Mestre em Ciências Biológicas-Zoologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Doutor em Ciências Biológicas-Zoologia pela Universidade de São Paulo. Pós-doutorado no Museu de Zoologia da USP. Professor orientador (mestrado e doutorado)do Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas-Zoologia da UFRJ/Museu Nacional. Atua na área de Zoologia, com ênfase em taxonomia, morfologia e diversidade de insetos da ordem Diptera e sua aplicação na Entomologia Forense. Autora de diversos artigos científicos e capítulos de livro e revisora de periódicos científicos e órgãos de fomento nacionais e internacionais. 

 

Cauê Trani de Mira

Bacharel e Licenciado em Ciências Biológicas (2010) pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCC). Mestre (2014) e Doutor pelo programa de Biologia Animal pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atua na área de Entomologia, com ênfase em: taxonomia, sistemática e biologia de Fanniidae (Diptera: Muscomorpha) e Entomologia Médica, Veterinária e Forense.

 

Claudio José Barros de Carvalho

Claudio José Barros de Carvalho é Professor Titular da Universidade Federal do Paraná desde 2001. Concluiu o doutorado em Ciências Biológicas (Entomologia) pela Universidade Federal do Paraná em 1988; em 1992 desenvolveu, por um ano, estágio de pós-doutorado no The Natural History Museum (BMNH), Londres, com bolsa do CNPq e The British Council. Editou ou co-editou seis livros, incluindo o recentemente publicado Biogeografia da América do Sul / Análise de tempo, espaço e forma, 2a. edição (24 de fevereiro de 2016). Publicou 203 artigos (periódicos nacionais e estrangeiros) e 17 capítulos de livro (português / inglês). Orientou 38 dissertações de Mestrado, 26 teses de Doutorado e supervisionou seis pós-doutorados nas áreas de Taxonomia, Sistemática e Biogeografia de Diptera. Exerceu por dois períodos a Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Entomologia (UFPR) e a Presidência da Sociedade Brasileira de Entomologia. Foi Editor-Chefe da Revista Brasileira de Entomologia (RBE) no período de 2009/2012 e no período de 2015/2016. Foi membro do International Council of the Congresses of Dipterology (1998-2006). Tem como foco principal a atuação na área de Zoologia, com ênfase na Taxonomia dos Grupos Recentes e em Biogeografia Histórica.

 

Claudio Von-Zuben

Possui graduação em Ciências Biológicas (1988), Mestrado (1992) e Doutorado em Ciências Biológicas (área de Zoologia) pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) (1996). Docente pesquisador do Departamento de Zoologia da UNESP, Campus de Rio Claro. Responsável pelas disciplinas de “Invertebrados”, “Parasitologia” e “Artropodologia” (Graduação) e “Biologia de Populações: Conceitos e Modelos”, “Princípios de Redes Neurais Artificiais e Redes Complexas Aplicadas à Ecologia” e “Métodos em Demografia Aplicada à Ecologia de Populações (Pós-graduação)”. Atualmente ocupa o cargo de Diretor do Instituto de Biociências da UNESP, Campus de Rio Claro. Tem experiência nas áreas de Ecologia e Entomologia, com ênfase em Ecologia/ Entomologia Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: dinâmica populacional de dípteros de importância médico- veterinária e agrícola, entomologia forense, modelagem matemática e utilização de ferramentas computacionais para o estudo de processos biológicos. É bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq (nível 2).

 

Eduardo Rodrigues de Souza

Formando em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005); mestre em Genética, Conservação e Biologia Evolutiva pela Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (2008); especialização em Segurança Pública e Perícia Criminal (2011). Perito Criminal da Polícia Civil do Estado do Amazonas desde 2011.

 

Francisco Felipe Xavier Filho

Graduado em Ciências Biológicas pela Escola Superior Batista do Amazonas (ESBAM). 2013. Técnico em Ciência, Tecnologia e Inovação do Instituto Nacional de pesquisas da Amazônia (INPA). Curadoria das Coleções Zoológicas, Coleção de Invertebrados do INPA. Tem experiência em coleta e curadoria de artrópodes. Atua como auxiliar técnico no Curso de pós-graduação em Entomologia do INPA. 

 

Inajar Antonio Kurowski

Graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal do Paraná (1986). Pós-graduação em Metodologia da Ciência pela Faculdades Integradas Espírita (1993) Mestrado Profissional e Gestão Ambiental pela Universidade Positivo (2011). Ocupação atual – Perito Criminal do Instituto de Criminalística do Estado do Paraná. Atuação como instrutor em cursos de curta e longa duração nas áreas de Balística Forense, Identificação de Veículos, Noções de Criminalística, Locais de Crime, Fotografia Forense. Professor em cursos de pós-graduação e em curso de EAD e presenciais.

 

Janyra Oliveira-Costa

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Gama Filho (1986), mestrado em Ciências Biológicas (Zoologia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000) e doutorado em Ciências Biológicas (Zoologia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005). Atualmente é perito criminal – Secretaria de Estado de Segurança Pública, professor da Universidade Castelo Branco, membro de Rede Nacional de Entomologia Forense – SENASP e membro da diretoria da Associação Brasileira de Entomologia Forense. Autora e organizadora do livro Entomologia Forense – quando os insetos são vestígios, Insetos Peritos – Entomologia Forense no Brasil. Autora de capítulo no Atlas de Medicina Legal – Hygino Hércules e diversos outros livros, além de diversos artigos na área de Entomologia Forense. Professora de Entomologia Forense em diversos curso de pós-graduação de formação forense. Professora da SENASP e da Acadepol. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Entomologia Forense, atuando principalmente nos seguintes temas: entomologia forense, entomologia, forense, Diptera e cadáver.

 

José Albertino Rafael

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá (1977); mestrado em Ciências Biológicas (Entomologia) pelo INPA (1979); Pesquisador do INPA desde 1979; doutorado em Ciências Biológicas (Entomologia) pela UFPR (1986) cuja tese recebeu o prêmio “Rodolpho von Ihering” concedido pela SBZ (1987); professor orientador no programa de pós-graduação em Entomologia do INPA desde 1986; pós-doutorado I no Canadian National Collection of Insects (CNCI), Ottawa, Canadá (1997-1998); pós-doutorado II na Universidade Federal do Paraná, Curitiba, como bolsista do PROTAX (2006-2008). Membro do CA-ZO do CNPq (2010-2015); membro da CATC do CNPq (2014). Referee de diversas revistas científicas, nacionais e estrangeiras. Atuação na área de Entomologia, com experiência em taxonomia de Diptera (Tabanidae, Empididae, Pipunculidae e outras) e outras ordens de Insecta e em Entomologia Urbana e Forense. Editor sênior do livro “Insetos do Brasil: diversidade e taxonomia” publicado em 2012 e ganhador do Prêmio “Alexandre Rodrigues Ferreira”, concedido pela SBZ (2014). Publicou 210 trabalhos entre artigos científicos, livros e capítulos de livros e orientou/co-orientou 85 estudantes entre monografia, iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado. Coordenador do Programa REFAUNA (2016-2017).

 

Júlia Flissak

Mestrado em Ciências Biológicas (Entomologia) pela Universidade Federal do Paraná, Brasil (2017). Atualmente é doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Entomologia (PGENTO) da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Entomologia. Atualmente é docente na Unidade de Ensino Superior Vale do Iguaçu e membro do núcleo docente estruturante (NDE) do Colegiado de Agronomia.

 

Kirstern Lica Follmann Haseyama

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Paraná (2008), mestre (2010) e doutora (2014) em Ciências Biológicas pelo programa de Pós-graduação em Entomologia da mesma universidade. Foi bolsista do Programa de Doutorado Sanduíche da CAPES pelo período de um ano na North Carolina State University (EUA). Atualmente atua como professora do Departamento de Zoologia da Universidade Federal de Minas Gerais e está credenciada na Pós-graduação em Zoologia dessa instituição. Atua na área de sistemática, incluindo taxonomia, filogenia com dados morfológicos e moleculares, estimativa de tempos de divergência e biogeografia histórica com ênfase em moscas (principalmente da família Muscidae). 

 

Lúcia Massutti de Almeida 

Possui Licenciatura em Ciências e bacharelado em Ciências Biológicas (1981), mestrado (1985) e doutorado (1990) em Ciências Biológicas, Entomologia, pela Universidade Federal do Paraná. É professor Titular da Universidade Federal do Paraná, orientadora no Programa de Pós-graduação em Entomologia da Universidade Federal do Paraná e do Programa de Pós-graduação em Ecologia e Evolução, da Universidade Estadual de Feira de Santana, nas áreas de Taxonomia, Sistemática, Ecologia e Entomologia Forense. Publicou 107 artigos em periódicos nacionais e estrangeiros, 1 livro (3 edições) e 17 capítulos de livro. É orientadora de mestrado e doutorado e supervisora de pós-doutorado nas áreas de Taxonomia, Sistemática e Ecologia de Coleoptera. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Taxonomia dos Grupos Recentes: Coleoptera, Coccinellidae, biologia, morfologia, taxonomia e Entomologia Forense. 

 

Maicon Diego Grella

Graduado em Ciências Biológicas (2009), Mestre em Parasitologia (2011) e Doutor em Biologia Animal – Biodiversidade Animal (2016) pela Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP. Atua na área de Entomologia, com foco em dípteros superiores (Calliphoridae, Sarcophagidae, Muscidae e Fanniidae), nos campos de Taxonomia e Sistemática (estágios adultos e imaturos), Bionomia e Ecologia. Pesquisador colaborador em pesquisas aplicadas dentro das Ciências Médica, Veterinária e Forense, com publicações em periódicos nacionais, internacionais e eventos de divulgação científica.

 

Maria Fernanda da Cruz Caneparo

É bacharel em Biologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR (2010) e possui título de Mestre e de Doutora em Entomologia pelo Programa de Pós-graduação em Entomologia da Universidade Federal do Paraná – UFPR. Possue experiência nos campos de etologia, biologia, ecologia e morfologia de Coleoptera e Blattaria. Além disso, atuou juntamente a Polícia Científica do Paraná na análise de vestígios entomológicos de local de morte.

 

Margareth Maria de Carvalho Queiroz

Pesquisadora Titular em Saúde Pública do Instituto Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz – IOC/FIOCRUZ. Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1988), mestrado e doutorado em Ciências Veterinárias (Parasitologia Médica-Veterinária) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1991 e 1995, respectivamente). Foi pesquisadora recém doutora e visitante do Instituto Oswaldo Cruz (convênio FIOCRUZ – CNPq), no período de 01/04/1995 a 04/05/1998. Possui Pós-Doutorado em Entomologia Médica e Forense na Universidade de Brasília – UnB (2013-2014), com bolsa de Pós-Doc Sênior do CNPq. Tem experiência na área de Parasitologia Médica e Veterinária, Entomologia Médica-Veterinária e Forense, Zoologia, Metodologia Científica, Microbiologia, Saúde Pública e Ciências Ambientais, atuando principalmente nos seguintes temas: Bioecologia, morfologia, taxonomia integrada de Diptera (Muscomorpha) e controle alternativo de vetores de importância em saúde pública (dípteros muscoides, mosquitos, triatomíneos etc.). Docente permanente dos Programas de Pós-Graduação em Biologia Parasitária e Biodiversidade e Saúde do IOC/FIOCRUZ e atualmente é coordenadora adjunta deste último. Chefia o Laboratório de Entomologia Médica e Forense (LEMEF) do IOC/FIOCRUZ. Atua como consultora de diversas Revistas Científicas e Órgãos de Fomento Nacionais e Internacionais. É bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq nível 1C e Cientista do Nosso Estado (CNE) da FAPERJ. Atua também como Professora e Coordenadora do Mestrado Profissional em Ciências Ambientais da Universidade de Vassouras – UniV (da Fundação Educacional Severino Sombra – FUSVE).

 

Melise C. Lecheta

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Paraná (2009), Especialização em Entomologia Médica e Acarologia pela Fundação Oswaldo Cruz (2011), Mestrado (2012) e Doutorado em Entomologia (2016) pela Universidade Federal do Paraná. Atualmente é pós-doutoranda no Insect Stress Biology Lab na University of Kentucky (EUA). Tem experiência nas áreas de Entomologia e Ecologia Evolutiva, atuando principalmente nos seguintes temas: entomologia forense, ecologia de populações, modelagem de nicho e adaptações de insetos à temperaturas extremas. 

 

Patrícia Jacqueline Thyssen

Graduada em Ciências (Biologia) (1997). Mestre (2000) e Doutora (2005) em Parasitologia pela Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Campinas-SP. Pós-doutorado pelas Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Botucatu-SP (2005-2009) e UNICAMP (2009-2011). Atualmente, Professora e Pesquisadora vinculada à Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e participante dos Programas de Pós-graduação em Biologia Animal e Ecologia (UNICAMP). Atua na área de Parasitologia e Entomologia, com ênfase em: taxonomia, sistemática e biologia de Diptera (Muscomorpha), Entomologia Forense e Terapia Larval.

 

Rodrigo César Corrêa

Biólogo pela Universidade Federal do Paraná (2006), Mestre (2010) e Doutor (2014) em Entomologia também pela UFPR. Especialista em besouros (Coleoptera) de interesse forense e pesquisador interessado em vários aspectos desse grupo Incluindo morfologia, biologia, comportamento, ecologia e distribuição de diversas espécies. Membro fundador do Grupo de Entomologia Forense da UFPR (2011-2015). Um dos primeiros grupos brasileiros a trabalhar em colaboração com peritos criminais. Juntamente com o grupo, atuou em 26 casos entre 2011 e 2015. Realizou Pós-Doutorado (2015-2016), através do Programa Ciência sem Fronteiras, na Texas A&M University, onde trabalhou com espécies de Dermestidae e atuou em parceria em diversos outros projetos. Professor substituto do IFPR Campus Palmas (2018-2019). Professor do IFRS Campus Vacaria (2019-presente).

 

Rodrigo Ferreira Krüger 

Possui graduação em Biologia pela Universidade Católica de Pelotas – UCPEL (1998), mestrado (2002) e doutorado (2006) em Entomologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Foi bolsista PRODOC/CAPES junto ao PPG em Entomologia da Universidade Federal de Viçosa (UFV) entre 2006 e 2007 e realizou estágio de pós-doutorado na “School of Geography and Environment, University of Oxford”, com o Dr. Robert Whittaker na área de Biogeografia e Padrões de Biodiversidade em 2016. Foi professor adjunto na área de Ecologia e Entomologia na UFV entre 2007 e 2009 e atualmente é professor associado da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), atuando na área de ecologia de parasitos e vetores, padrões de biodiversidade, macroecologia e entomologia forense e colaborador na Universidade Federal do Tocantins (UFT). É editor de área da Revista Brasileira de Entomologia desde 2009 e revisor de mais de 20 periódicos nacionais e internacionais. Atua como orientador nos PPGs em Parasitologia (UFPEL), Entomologia (UFPEL) e de Biodiversidade, Ecologia e Conservação (UFT). É professor dos cursos de graduação em Ciências Biológicas, Farmácia e Biotecnologia onde é professor nas disciplinas de Parasitologia, Interações Parasitárias e Bioestatística. Já orientou/co-orientou 27 estudantes de graduação (IC e TCC), 15 estudantes de mestrado e quatro de doutorado. Foi Coordenador de Pesquisa da UFPEL junto a PRPPG entre 2013 e 2014 e entre 2017 e 2018, coordenador do PPG em Entomologia da UFPel em 2015 e representante dos coordenadores de PPGs da UFPEL no Conselho Universitário em 2015. É membro atuante das Sociedades Brasileira de Zoologia e Brasileira de Entomologia e Society e Society for Vector Ecology. Coordena o Grupo de Pesquisa em Ecologia de Parasitos e Vetores onde orienta dois estudantes de mestrado e 2 de iniciação científica. Foi bolsista produtividade do CNPq nível 2 entre 2017 e 2020. 

 

Sabrina Machado da Silva 

Possui graduação em Ciências Biológicas (2015) e mestrado pelo Programa de Pós Graduação em Entomologia (2018) pela Universidade Federal do Paraná. Atualmente é bolsista de doutorado CNPq pelo programa de Pós Graduação em Entomologia da Universidade Federal do Paraná. O projeto atual tem como foco o estudo da seleção sexual e dimorfismo sexual em Sarconesia chlorogaster. Tem experiência na área de criação de Diptera, mais precisamente Calliphoridae e Sarcophagidae e ainda morfologia de imaturos da família Calliphoridae.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

    Capítulo 1 – Introdução 

    Karine Pinto e Vairo – Mauricio Osvaldo Moura

    1. Referências bibliográficas 

    Capítulo 2 – Procedimento Operacional Padrão para coleta de vestígios entomológicos para análises periciais 

    Janyra Oliveira-Costa – Francisco Felipe Xavier Filho – Eduardo Rodrigues de Souza José Albertino Rafael – Alexandre Ururahy-Rodrigues

    1. Introdução 

    2. Da cadeia de custódia 

    3. Orientações gerais: material de coleta e a relação entre o Perito Oficial e o Perito ad hoc 

    4. Descrição e objetivos do exame 

    5. Coleta de insetos adultos 

    6. Coleta de imaturos em diferentes situações: locais abertos, aquáticos e fechados 

    6.1. Ambientes abertos 

    6.2. Ambientes aquáticos dulcícolas 

    6.3. Local interno 

    7. Coletas no Instituto Médico-Legal 

    8. Transporte de insetos imaturos para o laboratório 

    9. Referências bibliográficas 

    Capítulo 3 – Processamento do vestígio entomológico em laboratório 

    Patricia Jacqueline Thyssen – Carolina Gonçalves Palanch de Lima – Karine Pinto e Vairo

    1. Introdução 

    2. O recebimento do material entomológico/vestígio e a cadeia de custódia 

    3. Como proceder à análise do material entomológico/vestígio recebido 

    3.1. Análise de material entomológico ou vestígio procedente de corpos em decomposição, de casos que envolvam negligência ou de outros fluídos corporais 

    3.2. Análise de material entomológico ou vestígios procedentes de alimentos in natura ou minimamente processados e/ou outros produtos industrializados, objetos materiais e afins. 

    4. Relatório Técnico (de análise) ou Laudo Pericial  

    5. Considerações finais  

    6. Referências bibliográficas 

    Capítulo 4 – Dos insetos aos nucleotídeos: a evidência entomológica à luz da análise molecular 

    Kirstern Lica Follmann Haseyama – Carina Mara de Souza

    1. Introdução 

    2. Preservação do material – os inimigos do DNA 

    3. Escolha do marcador molecular 

    4. Extração  

    4.1. Extrações por fenol-clorofórmio 

    4.2. Extração por conjuntos-padrão comerciais 

    5. Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) 

    5.1. Protocolo para realizar a PCR 

    5.2. Verificação dos produtos da PCR 

    5.3. Purificação dos produtos da PCR 

    6. Sequenciamento 

    7. Verificação das sequências 

    8. Alinhamento 

    9. Análises 

    9.1. Parcimônia 

    9.2. Métodos baseados em modelos − o modelo 

    9.3. Neighbor-Joining 

    9.4. Máxima Verossimilhança 

    9.5. Inferência Bayesiana 

    9.6. Diferenciação de populações – RAPD, AFLP, microssatélites e haplótipos 

    10. Considerações finais 

    11. Referências bibliográficas 

    Capítulo 5 – Experimentação em Entomotoxicologia 

    Patricia Jacqueline Thyssen – Cauê Trani de Mira – Maicon Diego Grella – Arício Xavier Linhares

    1. Introdução  

    2. Experimentação 

    2.1. Observando a interferência dos princípios ativos e metabólitos de drogas sob o desenvolvimento de imaturos de dípteros usando dietas artificiais 

    2.2. Observando a interferência de drogas e agentes tóxicos ou letais em seu estado original sob o desenvolvimento de imaturos de dípteros usando animais 

    2.3. Obtenção de drogas de abuso, medicamentos e demais agentes tóxicos ou letais para experimentação 

    2.4. Técnicas para identificação dos compostos químicos nos insetos 

    2.4.1. Técnica de Imuno-histoquímica (IHQ) 

    2.4.2. Técnicas Cromatográficas 

    2.5. Análise dos dados  

    2.5.1. Tempo de desenvolvimento, ganho de massa e de comprimento  

    2.5.2. Cálculo das taxas de viabilidade e de sobrevivência e intervalo de emergência 

    2.5.3. Grupo “controle”  

    3. Conclusões e perspectivas  

    4. Apêndice 

    5. Referências bibliográficas 

    Capítulo 6 – Criação de dípteros e coleópteros de importância forense em condições controladas 

    Margareth Maria de Carvalho Queiroz – Karine Pinto e Vairo – Maria Fernanda da Cruz Caneparo

    1. Introdução 

    2. Diptera 

    2.1. Coleta 

    2.2. Processamento em laboratório 

    2.3. Início, estabelecimento e manutenção da criação 

    3. Coleoptera 

    3.1. Coleta  

    3.2. Processamento em laboratório  

    3.3. Início, estabelecimento e manutenção da criação 

    4. Criação em condições controladas (Diptera e Coleoptera) 

    5. Dicas para criação de Diptera (D) e Coleoptera (C) 

    6. Referências bibliográficas 

    Capítulo 7 – Imaturos de Diptera e Coleoptera de interesse forense 

    Maria Fernanda da Cruz Caneparo – Sabrina Machado da Silva – Júlia Flissak

    1. Introdução 

    2. Diptera 

    2.1. Ovos de Diptera 

    2.2. Larva de Diptera 

    2.2.1. Caracteres gerais  

    2.2.2. Descrição e identificação 

    2.2.3. Preparo do material para estudo: Lâminas de larvas 

    2.3. Pupa de Diptera 

    2.3.1. Caracteres gerais  

    2.3.2. Desenvolvimento intrapuparial  

    3. Coleoptera 

    3.1. Ovos de Coleoptera 

    3.2. Larvas de Coleoptera 

    3.2.1. Caracteres gerais  

    3.2.2. Descrição e identificação 

    3.2.3. Preparo do material para análise morfológica 

    3.3. Pupas de Coleoptera 

    3.3.1. Caracteres gerais 

    3.4. Utilização de imaturos de Coleoptera no IPM 

    4. Referências bibliográficas 

    Capítulo 8 – Parâmetros biológicos de moscas necrófagas e seu potencial de uso na estimativa do intervalo pós-morte 

    Maurício O. Moura – Melise C. Lecheta – Cláudio J. Von Zuben